Número de vizualizações

Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

História do Bairro

Uma homenagem ao Papa João XXIII, falecido em 1963, o Bairro João XXIII festeja seus 48 anos de fundação. O que antes era só mato e poucas casas, distantes umas das outras, hoje tornou-se um bairro próspero, com cerca de 144 quarteirões – boa parte com saneamento básico – ruas asfaltadas, avenidas largas, escolas públicas e privadas, lojas, fábricas de confecções, universidade, postos de saúde e delegacia.

 O João XXIII é um dos poucos bairros de Fortaleza que tem um calendário de eventos. No final de Junho e início de julho, comemora-se a tradicional festa do São Pedro, já em sua 34° edição. Forró, comidas e bebidas típicas fazem a alegria da população.
O Bairro cresce a partir do local onde hoje fica a Praça Governador César Cals, popularmente conhecida como Praça do João XXIII. A região, antes de ser denominada de Bairro João XXIII, teve vários loteamentos: Parque Santa Fé, Parque Santa Cruz, Parque Aurora, Jardim Aclimação, Conquista, Parque São Luís e Pici das Pedreiras. Os transportes públicos eram feitos só do Centro para Parangaba. A única via de acesso era o Beco Novo, estreito, cheio de buracos e muita poeira, atualmente, a Rua Perdigão de Oliveira.

 O João XXIII, oficialmente, foi fundado em dois de junho, em homenagem ao Papa João XXIII, que faleceu em 1963, quando poucas famílias residiam no local. As casas distanciavam-se, uma das outras, por mais ou menos 200 metros. Nos diversos loteamentos da área, predominavam as matas verdes. “Não havia estradas, escolas ou postos de saúde. Tudo era concentrado no Centro ou em Parangaba”, diz o ex-vereador Maurílio Assêncio.

 O transporte, do Centro para Parangaba, era feito em caminhonetas, quatro vezes ao dia: 6, 7, 12 e 18 horas. “Quem perdesse esse horário era obrigado a vir a pé ou alugar um carro”, conta Maurílio. Ele diz que quando alguém adoecia, por falta de ambulância, os moradores eram obrigados a alugar jipes. O hospital mais conhecido era a “Assistência Municipal”, hoje IJF Centro.

 Não havia escolas públicas, energia, telefones, praças, ônibus, nem ruas pavimentadas. Eram poucas as famílias: Bragas, Cordeiros, Nunes e os Abreus. A igreja não havia sido construída. Os fiéis rezavam numa pequena capela construída em 1966. A primeira missa foi celebrada em 18 de julho de 1963 por Dom Raimundo de Castro e Silva, em baixo de um pé de cajueiro onde hoje fica a Rua Júlio Braga. Foram feitas 325 crismas, e, posteriormente, a páscoa dos casais e da juventude do João XXIII. A Igreja Imaculada Conceição, hoje uma paróquia coordenada pelo Padre Flávio, foi construída em 1986.

 Algumas famílias muita antigas no bairro e que impulsionaram o desenvolvimento do João XXIII, foram: a dos Abreus, Cordeiros, Bragas, Nunes e Assêncio. O Conselho dos Moradores do Bairro João XXIII começou a ser organizado de fevereiro a junho de 1963, quando Maurílio fixou residência no local. A entidade foi criada também em dois de junho. Para reunir os moradores, discutir os problemas e buscar soluções, Maurílio alugava filmes e passava no Bairro, às segundas-feiras, a partir das 19 horas. “Como não havia nenhuma outra forma de divertimento, esses filmes juntavam muita gente. Toda a comunidade se fazia presente”, disse.

 A primeira escola funcionou na própria casa de Maurílio Assêncio e foi fundada em dois de junho de 1963. No mesmo ano, em 10 de outubro, foi criado o João XXIII Futebol Clube. O Sistema de transporte era feito por camionetas da Praça José de Alencar ao Parque Santa Fé, atualmente João XXIII. Em 1965, o Grupo Escolar Presidente Kennedy foi fundado e, no ano seguinte, a primeira escola pública, construída pelo governador Plácido Castelo, foi entregue com o nome de Colégio Heráclito de Castro e Silva. A eletrificação chegou em 1969.

 Crescimento. O Bairro João XXIII, região norte de Fortaleza, está localizado na área da Regional III, e cresce a cada dia que passa. A população é de quase 27.000 habitantes. Ao Norte fica o Jóquei Clube; ao Sul, o Bonsucesso; ao Oeste, Henrique Jorge; e a Leste, a Parangaba.

Maria Thais Mesquita

Nenhum comentário:

Postar um comentário